quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Chega ao Brasil HQ francesa que retrata Rio de Janeiro dos anos 50


Já está nas livrarias mais uma novidade da Desiderata. Trata-se do álbum Negrinha (formato 17 x 24 cm, 104 páginas, R$ 44,90), escrito por Jean-Christophe Camus e desenhado por Olivier Tallec, ambos franceses e praticamente desconhecidos no mercado nacional.

A história se passa no Rio de Janeiro da década de 1950 e lida especialmente com o racismo e as diferenças sociais. A personagem principal, a adolescente Maria, foi criada no luxuoso bairro de Copacabana sem saber que seus parentes viviam na favela do Cantagalo (hoje Pavão-Pavaõzinho).

Pior: sua mãe, Olinda, que é negra, faz de tudo para que a menina não se aproxime de outros negros e nem de pessoas pobres. Isso fica ressaltado em frases como "Você é uma morena de Copacabana, não é uma negrinha da favela" ou "Você não é uma negrinha; é morena, é quase branca".

Mas quando a garota conhece suas origens na favela e se encanta pelo garoto bom de samba Toquinho, que vende lembranças na praia, as preocupações da mãe começam a aumentar.

A obra tem prefácio assinado pelo cantor e compositor Gilberto Gil; e o sambista Cartola faz uma discreta "ponta" na história. O roteirista Jean-Christophe Camus é filho de mãe brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opine.