terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Produtor de Sexta-Feira 13 fala sobre continuação, A Hora do Pesadelo e Freddy vs Jason 2


Brad Fuller diz que remake de Freddy Krueger tem prioridade sobre novo Jason Vorhees

A estreia do reinício da série Sexta-Feira 13 se aproxima (13/2 mundialmente) e o produtor Brad Fuller falou ao Bloody-Disgusting sobre a possibilidade de uma continuação, a refilmagem de A Hora do Pesadelo e Freddy vs. Jason 2.

Fuller disse que se o filme tiver boa bilheteria, todos estão dispostos a voltar a Crystal Lake e Derek Mears (o novo Jason Voorhees), inclusive, já tem contrato para mais um filme. Porém, o produtor já adianta que, mesmo que o terror seja um sucesso, há outro filme na fila que tem prioridade sobre a continuação. "A Hora do Pesadelo virá antes. Estamos nos mexendo para começar esse em breve. Queremos anunciar um diretor em duas ou três semanas. Queremos começar a filmar em maio ou abril", disse.
Sobre Freddy vs. Jason 2, Fuller disse simplesmente que até aquele momento não havia pensado a respeito. Antes eles querem reestabelecer Sexta-Feira 13 e A Hora do Pesadelo como franquias de peso nos cinemas.

O décimo-primeiro Friday the 13th tem roteiro de Damian Shannon e Mark Swift, responsáveis pelo script de Freddy vs. Jason. O diretor é Marcus Nispel (O Massacre da Serra-Elétrica).

Cena violentíssima de Nip/Tuck enfurece organizações de controle da TV


"Nip/Tuck" é polêmica e não poupa ninguém de cenas muito bizarras. E o rol de imagens chocantes ganhou mais um item na última terça (27) com a exibição do episódio "Roxy St. James" na TV americana. Uma conhecida do doutor Christian Troy simplesmente resolve cortar fora o seu próprio seio na recepção da clínica. Ui!

Christian comparece a uma reunião de um grupo de apoio para pessoas com câncer de mama (como ele) e conhece Roxy, uma mulher cuja mãe e avó morreram da doença. É claro que em se tratando do doutor os dois se envolvem sexualmente e a moça aproveita a aproximação para pedir que ele extirpe seus dois seios para que ela não tenha que se preocupar se terá ou não a doença. Ele até topa, mas desiste na mesa de cirurgia.

Roxy é meio descompensada e vai até a clínica do médico e resolve cortar o próprio seio com uma faca elétrica bem no meio da recepção.

O episódio da semana passada da série Nip/Tuck enfureceu praticamente todas as organizações privadas (e religiosas) dedicadas ao controle de programação que existem nos Estados Unidos, como a PTC (Parents Television Council).

TV americana: Sexo adolescente, ainda tabu para muitos adolescentes!


Uma série para adolescentes, “The Secret Life of the American Teenager”, está causando enorme polêmica nos EUA. Exibida na ABC Family - e um dos maiores sucessos de audiência da emissora -, o programa tem entre seus personagens uma menina de 15 anos grávida.

Há protestos por parte dos pais que acham que o assunto não devria estar no ar no ABC Family. Eles alegam que um canal com a palavra ‘Family’ em seu nome não deveria tratar de gravidez na adolescência. Mas, ironia das ironias, “Secret Life” se tranformou no líder de audiência da emissora com números que chegam a 3.8 milhões de telespectadores por episódio. Isso com adolescentes na cama, um pai fazendo perguntas sobre a vida sexual das filhas na mesa do jantar e até um personagem atormentado por ter sido molestado pelo próprio pai.

Globo estréia Prinsion Break


A Globo estreiou ontem a primeira temporada de Prision break, que será exibida de segunda a sexta, depois do Jornal da Globo, até 6 de março. A série, inédita na tevê aberta, conta a história de homem condenado à morte por crime que não cometeu e de seu irmão, que faz tudo para tirá-lo da prisão antes que seja punido.

Record estréia novas temporadas de CSI


Na segunda quinzena de fevereiro, a Record estréia novas temporadas de CSI Miami e CSI Las Vegas. Nas terças-feiras, a Record passará a exibir a 3ª temporada de CSI Miami, a partir da 00h15. E nas sextas-feiras, a 5ª temporada de CSI de Las Vegas, às 23h45.

Atualmente a Record exibe CSI Miami (2ª temporada) às terças, Dr. House (1ª temporada) às quintas, CSI Las Vegas (4ª temporada) às sextas, Monk (4ª temporada) aos sábados e Um Maluco na TV (1ª temporada) aos domingos.

Reviravoltas marcam retorno de séries

Se acúmulo de prêmios fosse senha de sucesso, “30 Rock” e “Mad Men” seriam o que há de melhor na TV norte-americana. Mas quando “Mad Men” somou mais um troféu à sua coleção nesta semana, o ator Jon Hamm agradeceu às “dezenas” de fãs da série. E não era piada. O seriado sobre mercado publicitário de Nova York nos anos 60 teve média por episódio de 1,5 milhão de espectadores em 2008 nos EUA –muito pouco se comparado, por exemplo, ao musical “American Idol”, média de 30 milhões.

“30 Rock”, criado pela comediante Tina Fey, vai um pouco melhor no quesito audiência (cerca de 7 milhões), mas ainda bem distante do esperado para uma das séries mais premiadas dos últimos anos.
A trama narra os bastidores de um programa de TV e, como “Mad Men” (este sem o humor), talvez o clima de escritório nova-iorquino não agrade ao público em tempos de demissões em massa na vida real.
Seja como for, as duas séries premiadas estreiam suas novas temporadas na semana que vem no Brasil, ao lado de outras três com melhor popularidade, “Grey’s Anatomy”, “CSI” e “Desperate Housewives”.
As três chegam com grandes reviravoltas em suas tramas. Com as mulheres desesperadas de Wisteria Lane, no entanto, a mudança é tanta que parece um novo seriado.
A ex-modelo Gabby (Eva Longoria) ganhou duas filhas, engordou e caiu fora da vida social; Bree (Marcia Cross), a dona-de-casa mais empenhada, virou empresária dedicada e se esqueceu do marido.
Como o seriado tem data para terminar, em 2011, pode ser que tanta novidade seja um ato desesperado para alavancar a audiência, o que não tem acontecido –os 18 milhões de telespectadores da estreia caíram para 13 milhões neste mês.
Médicos deprimidos
Na trama sobre os médicos do Seattle Grace Hospital, amor e bisturis continuam se cruzando pelos corredores e salas de operação. A diferença é que agora a instituição despencou para 12º lugar no ranking das escolas de medicina, deixando todos deprê em “Grey’s”. Um vislumbre de caso lésbico continua entre duas médicas, mas logo uma delas some do mapa e tudo volta ao “normal”.
Mas isso não é nada para os fãs de “CSI”, que chega à nona temporada e perde dois protagonistas de uma vez.
Logo no primeiro episódio, sai de cena o investigador bonitão Warrick Brown (Gary Dourdan) e, lá pelo décimo episódio, acontece a anunciada saída do protagonista Gil Grissom (William Petersen), substituído pelo dr. Langston (Laurence Fishburne).
Mesmo assim, “CSI” segue liderando noites na TV americana, com 24 milhões de espectadores. Melhor aproveitar enquanto ninguém apaga a luz.

Três Séries no Top FIve do SBT

Na semana passada o trio parada dura esteve presente juntas no Top Five do SBT, Chaves, Chapolin e Eu a Patroa e as Crianças obtiverem ótimos indices, vejam os números: